Warning: Undefined array key "options" in /home/customer/www/cidadaospelaajuda.pt/public_html/wp-content/plugins/elementor-pro/modules/theme-builder/widgets/site-logo.php on line 194
longo_horizontal-01

Participa.pt

Projeto ilegalmente alterado em consulta pública: manifeste-se até dia 6 de Fevereiro no Participa.pt

Unidade de Execução da Ajuda

Foto: Frederico Raposo | A Mensagem

reportagem tvi

"Terrenos Cobiçados"

Na Freguesia da Ajuda nasce um novo projeto polémico

“Eram terrenos públicos que acabaram em mãos de privados. Na freguesia da Ajuda, ao pé do Palácio Nacional está a nascer um novo porketo que preocupa quem lá vive. 

“Terranos Cobiçados” é uma reportagem de Maria José Garrido com imagem de Miguel Bretiano, Romeu Carvalos e Tiago Eusébio de edição de imagem de Carlota Pam

Saudamos ...

Um plano para finalmente abrir esta zona central da Ajuda.​

Questionamos ...

É uma oportunidade perdida para melhorar a Ajuda e a cidade?

A Freguesia da Ajuda perdeu, entre 1981 e 2011 cerca de 42% dos seus habitantes – os nossos vizinhos, moradores antigos e seus filhos foram ‘empurrados’ para a periferia.

A UEA é uma oportunidade para estruturar,  melhorar, implementar novos serviços e valências privilegiando a acessibilidade e a inclusão numa zona típica e com riqueza histórico-patrimonial.

Contudo, parece preconizar a construção ‘condomínio fechado’, fora do alcance da grande maioria dos atuais moradores da Ajuda e longe de um modelo de cidade equilibrada, acessível e sustentável.

Por outro lado, sem o acesso a habitação para os lisboetas, a UEA configura uma intervenção violenta que rasga definitivamente o tecido social da Freguesia: os condomínios, como os construídos na Calçada da Ajuda, tornam privados espaços que poderiam / deveriam ser públicos entre edifícios e não promovem a fixação de residentes, nem a vivência urbana de vizinhança com a agravante de não estimularem a economia local.

E lembramos: a Ajuda não tem espaços centrais e acessíveis – os moradores não têm espaços verdes públicos nem culturais. 

A população envelhecida e os acessos difíceis à parte alta da freguesia necessitam que a UEA melhore a circulação a pé e abra às pessoas a Rua da Bica do Marquês.

Por tudo isto e porque à volta destes terrenos da UEA (e outros excluídos, como a envolvente da Torre do Galo) há todo um processo histórico de séculos que é preciso ter em conta mas que, tal como o processo de décadas que começou com a alienação opaca dos terrenos públicos a privados é omitido desta proposta – processo bem descrito pela resposta à consulta pública já entregue pelo Fórum Cidadania LX, publicada aqui e com a qual concordamos.

Reunião Pública da Câmara

Resposta na reunião da CML (28/04)

“Desde já, agradeço a possibilidade de colocar algumas questões na sede da soberania lisboeta.

É importante sublinhar que estou aqui para trazer a voz de um coletivo, Cidadãos pela Ajuda, um grupo informal de cidadãs e cidadãos motivado pelas expectativas e dúvidas que o atual processo de Unidade de Execução da Ajuda suscita. (…)”

Projeto pela CML

Apresentação do projecto da Unidade de Execução da Ajuda feito pela CLM

Informações sobre as características do desenho urbano, morfologia e estrutura de espaço público, espaços verdes de utilização pública, edificabilidade, usos e cedências, seguindo-se um espaço para esclarecimento de questões.

Últimos Eventos

Nos últimos meses, realizamos algumas atividades junto à moradores e a CML para abrir diálogo sobre a UEA e seu impacto na freguesia.

Nada mais por enquanto...

Quer acompanhar os próximos eventos?